As Defesas Psicológicas e o Autoconhecimento

Por: Ricardo Chioro – Riath

(Texto inspirado e intuído pelos Mestres da Luz)

Inconsciente é a região de nossa mente da qual não temos consciência, ficam guardadas memórias e informações sobre a nossa personalidade.

As defesas psicológicas são proteções da nossa mente que não deixam esses conhecimentos irem para a região consciente.

As defesas são muito eficazes, guarda conteúdos sem nos percebemos qualquer perturbação que uma informação pode dar já é guardada, mesmo sendo muito fraco o incomodo.

Mas não é só as informações que causam incomodo que são guardadas, muitas outras também são como um momento doloroso da vida como a morte de um amigo ou parente.

O autoconhecimento é resgatar as informações da nosso inconsciente, essas informações que são desconhecidas, nessa região mente que estão esquecidas.

No processo de autoconhecimento essas defesas tentam impedir a saída desses conteúdos velados, por exemplo:

Você começa a fazer terapia, ai então se atrasa, fica de mau humor ao ir lá ou se sente mal psicologicamente. Essas são defesas que protegem esses conteúdos de sair da parte imperceptível, pois a terapia traz conscientização.

Depois de um tempo com a insistência de nossa presença na terapia, esses sintomas vão sumir. Por isso é importante ter insistência e determinação.

Quem descobriu o inconsciente e essas defesas foi Freud, o criador da Psicanálise, a segunda força da Psicologia, foi uma revolução para sua época.

Então quando vamos para algum lugar que nos traz autoconhecimento podemos ter a principio que lidar com esse mecanismo mental que estamos escrevendo.

Muitas vezes é difícil começar, pode incomodar enxergar certas coisas, mas isso passa, é só no principio.

Quando estamos enxergando aprendemos que isso é normal, todos tem seus defeitos, até mesmo os Mestres Ascensos, então não temos que nos preocupar, é normal.

É normal ter defeitos, mas fazer conscientização de nós mesmos, uma minoria faz aqui na terra. Quem não vai ter que reencarnar mais vezes para aprender.

Enxergar é um bom caminho, fazer a coisa boa, certa, o que estamos encarnados para aprender, é esse um sentido da vida, e aprendemos no dia a dia.

Se você está enxergando, está fazendo a coisa certa, quando nos conscientizamos profundamente o que vemos de negativo vai deixar de existir, vai ser substituído por uma virtude psicológica (uma qualidade da personalidade boa).

Se conseguir enfrente suas defesas, use sua força de vontade, tente fazer ela se abrir para enxergar alguns conteúdos ocultos. Se não conseguir, tente observar quais são as resistências de sua mente que tentam te despistar ou parar.   

Esse é um exercício difícil, mas é muito possível.

Se você esta na busca do autoconhecimento é uma boa pessoa, só bons seres buscam isso, não todos que são bons, muitos não o fazem.

Então fique com luz, ser de luz.

Parte II

 

Pode ajudar quando estamos em um caminho de autoconhecimento conhecer algumas defesas, podemos reconhecer o bloqueio e perceber que nossa própria mente está resistente, o que é normal.

O reconhecimento dá uma pista para enxergamos o que há por trás dele.

Então vamos lá:

 

Formação Reativa

É a substituição do desejo real pelo seu oposto.

Vamos supor: um padre que é proibido de sentir desejo sexual, ao se deparar com esse desejo, ao invés de senti-lo tem emoções opostos como nojo, vergonha e a repugnância, essa é uma defasa da mente acontece para de afastar esse prazer que e lhe é proibido.

 

Projeção

É enxergar no outro qualidades, intenção e sentimentos que pertencem a si mesmo.

Olhando os defeitos dos outros e criticar, isso pode acontecer por termos essas características em nós, e para não enxergá-las projetamos nos outros.

O livro Teorias da Personalidade de Fadman e Franger dá alguns exemplos disso:

1. “Todos os homens/mulheres querem apenas uma coisa” (Eu penso muito a respeito do sexo);

2. “Posso dizer que você está furioso comigo” (Eu estou furioso com você)

3. “Eu não confio nos outros” (Eu quero tirar vantagem dos outros)

Completamos com algumas outras:

4. “Como aquele sujeito é irritante” (Eu sou irritantante)

5. Que sujeito chato (Eu sou chato)

Claro que existem observações reais sobre o mundo que não são projeção, as vezes constatamos o que realmente existe no outro, mas é importante fazer um auto-exame.

 

Regressão

É voltar a comportamentos que praticávamos em outras fazes da vida para lidarmos aliviar ansiedade.

Essas comportamentos podem ser mais simples ou mais infantis, é como o Charley Brown do desenho Snoop que sempre pega seu cobertor para poder voltar a comportamento de uma fase de vida mais infantil, em que com isso se sentia mais seguro.

 

Negação

É negar comportamentos e informações que perturbam o ego.

O livro Teorias da Personalidade exemplifica muito bem o que é a negação:

Um visinho vai a julgamento por quebrar um valioso vaso.

Quando chega a vez de sua defesa, dá três argumentos:

Em primeiro lugar eu nunca peguei emprestado esse vaso. Em segundo lugar o vaso já estava lascado.

Em terceiro lugar devolvi o vaso em perfeito estado.

Essa defesa é muito interessante, pois nela não se percebe as contradições, muitas lembranças são mudadas e a pessoa acredita piamente nessas lembranças, pois é claro: a mente está tentando proteger o conteúdo que tem dificuldade em aceitar.  

 

Você já pensou se usa umas desses sistemas defensivos?

Reflita, pode aprender sobre si mesmo.

(a continuação desse texto continua na próxima semana)

Ler obras espirituais nos faz evoluir espiritualmente.

Leia nossos textos para sua evolução espiritual, eles são espirituais, ou uma sugestão de luz: leia um texto nosso semanalmente.

Conheça o texto: Como Evoluir Espiritualmente.

Voltar a Pagina Inicial                      Índices de Textos                      Livro de Visitas